PRIMEIRA ETAPA DO 2º PRÊMIO E FÓRUM DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA É REALIZADA ONLINE

Primeiro dia de atividades contou com seis painéis para discutir e apresentar os caminhos e soluções para startups, nos setores de Esporte, Saúde, Lazer e Construção



Aconteceu na última sexta-feira, 5 de fevereiro, a primeira etapa do 2º Prêmio e Fórum São Paulo de Inovação Tecnológica no Esporte, Saúde, Lazer e Construção. Realizado pela Federação Nacional das Entidades do Terceiro Setor (FENATS), o evento teve neste primeiro dia uma programação totalmente voltada a palestras com representantes da indústria, poder público e terceiro setor.


Ao longo de todo o fórum, foram abordados temas relacionados às oportunidades de negócios nacionais e internacionais, possibilidades de capacitação e investimentos para startups, programas de incentivo ao empreendedorismo e cases de sucesso mundiais.


Criado em 2019, quando foi apresentado na cidade de São Paulo, o projeto desta vez foi transmitido por plataforma online, com abrangência nacional e, novamente, de forma gratuita. Para tornar tudo isso possível, a FENATS recebeu o apoio do vereador Atílio Francisco, que viabilizou a realização do evento, a premiação aos participantes e auxílio às startups vencedoras em agendas nacionais e internacionais, contribuindo com as empresas do país neste momento de dificuldade econômica.


Resumo do evento


No primeiro painel do dia, sobre as oportunidades de negócio entre Brasil e China, o diretor da INNOWAY, o chinês Luan Tian, afirmou que o país asiático tem um interesse muito grande nas empresas brasileiras por tratar-se do mais promissor mercado sul-americano. Segundo ele, há a esperança não só de investir nas startups daqui, como também levá-las para a Ásia a fim de trocar experiências e know-how.


"Inicialmente, os negócios em nosso país podem parecer difíceis, mas estamos aqui para simplificar e ajudar a torná-los possíveis. Já estamos na União Europeia e nosso próximo passo agora é irmos para a América Latina", frisou.



Outro país que pode servir de referência para o mercado nacional é a Alemanha. Diretor de Inovação e Tecnologia da Câmara Brasil-Alemanha, Bruno Zarpellon afirmou que hoje existe um comitê na organização que incentiva o desenvolvimento de projetos aderentes às necessidades e demandas do mercado, a partir de insights de empresas, para desenvolver um portfólio de produtos e serviços que pode ser bem interessante às empresas locais.


Quando o assunto é exportação, a Apex-Brasil pode ser também uma grande referência para ajudar startups nacionais e levarem seus produtos para fora do país. Analista de Negócios Internacionais da agência brasileira, Antônio Carlos Ferreira revelou que só em 2019 foram realizadas 488 ações de exportações, sendo 240 delas participações em feiras pelo mundo, 164 missões comerciais e 84 projetos compradores.


Outros dados que reforçam a importância da Apex-Brasil para a internacionalização do empreendedorismo local é que, no mesmo ano, 415 empresas foram apoiadas pelos programas da agência, sendo que 152 participaram de missões virtuais e 110 acabaram se instalando nos escritórios da Apex no exterior (27 com instalação física e 95 com instalação virtual).




Soluções para a sociedade


Falar em inovação é trazer novas ideias para resolver problemas cotidianos. Seguindo nessa linha, a gerente de Relações Internacionais e Institucionais da Investe SP, Raquel Rocha, mostrou como a agência trabalha e como podem ajudar as startups a levarem suas ideias para grandes mercados.


Segundo ela, as soluções que essas novas empresas trazem hoje podem servir para processos produtivos. “Nós, como agência, podemos fazer a ponte entre o produtor em larga escala com os novos empreendedores, encurtando o tempo de diálogo entre o poder público e o setor privado, tentando viabilizar os negócios e investimentos.


Quem também mostrou como ideias inovadoras podem contribuir com a sociedade foi Lanna Dioum, líder do Programa Startup Indústria, da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Em sua apresentação, ela falou sobre um edital lançado para as comunidades de baixa renda no Brasil, por meio do qual selecionaram os três melhores projetos capazes de mitigar os efeitos da pandemia.


Dentre os projetos vencedores, o primeiro foi uma metodologia inovadora de testagem em pool, de uma empresa de Santa Catarina. Em segundo, outra startup lançou um sistema de mapeamento dos serviços sociais para a população carente saber onde estão os atendimentos de bolsas, alimentos, psicologia e medicina. E em terceiro lugar ficou um dispositivo criado para monitorar os sintomas e sequelas da covid-19.


Painel estrangeiro


No bloco internacional do Fórum, importantes organizações participaram do debate, mostrando como a inovação e tecnologia vêm sendo bem vistas e aproveitadas em outros países. Para Natalia Bayona, diretora de Inovação da Organização Mundial de Turismo das Nações Unidas (UNWTO, na sigla em inglês), sustentabilidade e inovação são as novas palavras de ordem na entidade, mas para rever o turismo é preciso incrementar novas tecnologias e contar com a cooperação dos setores público e privado.


Esse trabalho tem sido realizado inclusive no Brasil. De acordo com Natalia, em 2020 foi lançado um prêmio de inovação e empoderamento para startups brasileiras que contou com mais de 600 inscrições. Muitos desses empreendedores estão hoje trabalhando em conjunto com a UNWTO e o Ministério do Turismo para encontrar soluções básicas.


E quando o assunto é premiação para startups, a referência mundial é a ISPO Brandnew, representada no Fórum por Stephan Barth. Ao longo de sua apresentação, ele explicou detalhes de como uma empresa pode se inscrever na competição e os benefícios de estar entre as maiores ideias inovadoras do mundo. “Somos capazes de transformar qualquer pequena marca em uma grande empresa. Há alguns anos, uma das vencedoras foi uma startup chamada GoPro [hoje uma das maiores marcas de tecnologia do mundo], afirmou Barth.


Já o gerente de vendas da Dubai World Trade Centre, Zarko Ackovik, revelou que, nos últimos três anos, oito startups brasileiras foram premiadas na competição que acontece no pavilhão árabe, que o ocupa um espaço equivalente ao tamanho do Maracanã, no Rio de Janeiro. “Isso só mostra que o Brasil tem empreendedores de qualidade”, disse.


Encerramento


Para fechar o primeiro dia de evento, o Fórum contou com as presenças do Embaixador e Consul Geral em Munique, José Mauro Couto, e o secretário nacional de Esportes de Alto Rendimento do Brasil, Bruno Souza. Enquanto Couto apresentou os cases de inovação alemães, Souza apresentou alguns números relevantes do empreendedorismo nacional.


Segundo ele, o país tinha em 2005 cerca de 4 mil startups voltadas para o esporte, enquanto hoje temos existem quase 14 mil. “Todo esse avanço graças ao crescimento no investimento de R$ 8 bilhões para R$ 31 bilhões até 2024”, diz.


Ao final do evento, Samira Cavalcante, presidente da FENATS, comentou sobre suas impressões das palestras e destacou o apoio do vereador Atílio Francisco, autor da emenda parlamentar que viabilizou o projeto. "As apresentações foram de altíssimo nível e trouxeram informações que contribuirão muito para o desenvolvimento da tecnologia de informação não só do Brasil, mas no mundo todo", disse.


O Prêmio


Agendada para o próximo dia 11 de fevereiro, quinta-feira, a segunda etapa do evento terá como grande destaque a apresentação dos finalistas do Prêmio, em quatro categorias: no esporte, Apps, Produtos e eSports, e em construção, Técnicas Construtivas em Construção Civil.


Os vencedores do segmento esportivo poderão levar suas ideias para a ISPO Munich Online 2021, a maior exposição esportiva do mundo, que acontece no mês de julho. Já os ganhadores do setor de construção apresentarão seus produtos na Smart.Con 2021, evento internacional com foco em tecnologia e inovação para os setores de Engenharia, Infraestrutura, Real Estate e Rental, que acontecerá nos dias 6 e 7 de julho, no São Paulo–EXPO. Todos receberão ainda a chance de participar do programa Acelera FIESP, para Startups, com a data da próxima edição ainda a definir.


INSCRIÇÕES GRATUITAS


Para quem quiser acompanhar o segundo dia de evento, basta se inscrever, gratuitamente, pelo site do evento: www.premioinovacaotecnologica.com. Por causa da pandemia de covid-19 e a consequente necessidade de respeitar o isolamento social, toda a transmissão é feita online.


O 2º PRÊMIO & FÓRUM SÃO PAULO EM INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO ESPORTE, SAÚDE, LAZER E CONSTRUÇÃO É UMA REALIZAÇÃO DA FENATS - FEDERAÇÃO NACIONAL DAS ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR, COM PROMOÇÃO DA ABRIESP – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DO ESPORTE E APOIO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, TRABALHO E TURISMO, MCTIC, ABDI, APEX-BRASIL, INVESTSP, SEBRAE, BAUMA CHINA, M&T EXPO, MESSE MUNCHEN, SMART.COM, ISPO BRAND NEW, NETNIC - CHINA, AHK - CAMARA BRASIL ALEMANHA, CREF-4/SP, FEDEESP, SOFTEX, ESCOLA BRASILEIRA DE GAMES, ONOVOLAB, VIVA RTV NA WEB, SSTUDIO MARKETING, WORLDSBN, MANUCCI ADVOGADOS, CBCA - CENTRO BRASILEIRO DA CONSTRUÇÃO EM AÇO, ABCEM – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CONSTRUÇÃO METALICA, GRUPO AB AREIAS, CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL – CAU/BR, ABSOLAR, SINDINSTALAÇÃO, SITIVESP, ABAL - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DO ALUMÍNIO, FIESP - FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, ABCP - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIMENTO PORTLAND E ABCIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA DE CONCRETO.


INFORMAÇÕES


Construção: secretaria.pitesl.construcao@gmail.com


Esportes: secretaria.pitesl@gmail.com


Telefone: +55 11 94956-9704


SIGA NAS REDES SOCIAIS


Instagram: www.instagram.com/premioinovacaotec


Twitter: www.twitter.com/pitesl1


Facebook:www.facebook.com/Prêmio-e-Fórum-São-Paulo-de-Inovação-Tecnológica-107898560593816


LinkedIn: www.linkedin.com/in/premio-inovacaotecnologica-92a2241ba


12 visualizações0 comentário